A Águia é símbolo da liberdade

O QUE OS MESTRES ASCENSOS DIZEM SOBRE...

A CHAMA DA LIBERDADE


Estamos traduzindo estes ditados semanalmente,
atualize a página para ter certeza de estar vendo todos os ditados.

 - Clique para Atualizar esta Página -


A chama da consciência Crística é a única chama que sobe como uma fonte de luz, um tributo a todos os povos e a todas as nações que vieram a este solo e a este continente para o grande encontro dos eleitos.

Pois naquele tempo na história, pelo poder da Palavra falada, Mestres Ascensos, Hierarquias da luz, deveriam conversar novamente com a humanidade e caminhar com a humanidade e preparar o caminho para a Segunda Vinda do Cristo nos corações de toda a humanidade.

Este é o destino da América: definir a Cidade Quadrangular que é o fundamento da nova ordem das eras, a ordem da liberdade, a ordem da era Aquariana.

E daquele quadrado a pirâmide da vida aumenta. Isso permanece para um povo fervoroso em devoção à chama para colocar a pedra final, sobre a pirâmide desta civilização forjada pelo homem em Deus e Deus no homem.

Godfre
-------------

Os Estados Unidos foi criado pela união de povos do mundo todo, que saíram de seus países em busca do sonho da liberdade!

Hoje vemos o mundo todo criticando este país, mas esquecemos que foi criado por todos os eleitos pelos mestres ascensos para construírem juntos este país que trouxe a chama da liberdade para o mundo.

É obrigação de cada chela dos mestres, orar pela proteção desta chama e deste país. Assim como no Brasil, a falsa hierarquia também luta para dominar o governo dos Estados Unidos. Precisamos todos pedir a Deus, um governo divino para toda a América.

É importante que todos deixem claro para Deus e para os mestres, que desejamos a união das Américas e de seus povos, e que desejamos que a chama da liberdade continue a brilhar em nossos governos.

Vitória Sempre da Liberdade!
Paulo R Simões


OS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

Desde a sua descoberta em 1492, a América - sua cultura, sua história e sua religião - foi esculpida a partir das linhas de um destino cósmico. Não que qualquer homem ou qualquer nação possa ser considerada o centro de um universo - mas que o propósito para o qual esse homem e essa nação são chamados pode afetar o destino de milhões de almas, neste e em outros sistemas de mundos.

Como Jesus Cristo foi destinado para dar o exemplo da consciência Crística que todos um dia devem manifestar e, como Gautama Buda foi chamado para ilustrar o caminho do Buda, que todos devem se tornar, então, a América foi escolhida pela hierarquia do cosmos, conhecida como a Grande Fraternidade Branca*, para ser essa nação onde o plano da mandala divina de toda e cada nação, seria cumprido.

O lugar onde estão os Estados Unidos no destino do cosmos, surge sob a influência da hierarquia de Aquário. É o lugar onde a Virgem Cósmica consagra a chama da liberdade, não nos templos feitos com as mãos, mas sobre o altar dos corações de um povo.

Atraídos de todas as nações, de todas as ondas da vida e evolução, o povo americano é escolhido como portadores de uma era - não pelo favoritismo de um Deus antropomórfico, mas pela escolha de uma vontade livremente ordenada por Deus. Os eleitos do Senhor são os que escolhem ser os instrumentos do Senhor.

(*A Grande Fraternidade Branca é uma ordem espiritual da Hierarquia, uma organização de mestres ascensos unidos para os propósitos mais elevados de Deus no homem, conforme estabelecido por Jesus Cristo, Gautama Buda e outros professores mundiais. A palavra "branco" não se refere à raça, mas à luz branca do Cristo que envolve os santos e sábios de todas as idades que surgiram de todas as nações para serem contados entre os imortais.)

E então, a América é a Terra da Mãe novamente presente (disponível para nós). Fundada pela Irmandade na matriz dos treze originais de Cristo e seus apóstolos, é o cumprimento do destino dos povos da Lemúria e da Atlântida, da Grécia antiga e de Roma, dos tempos de ouro da China e da Índia, do Egito e da Europa.

Para os Estados Unidos, os peregrinos da liberdade marcharam. Ao longo de quatro séculos, eles viajaram (vindos de todos os lugares do mundo) para o lugar preparado em terras desconhecidas e ainda selvagens, vindos para receber a Mulher vestida com o Sol e o nascimento de seu Filho Varão.

Jesus e Gautama estabeleceram o padrão para o domínio da luz de Deus dentro do coração e da mente; E ambos disseram: "O que eu fiz você também pode fazer" (João 14:12). Seguindo o caminho do Cristo e do Buda, nós chegamos ao lugar onde a alma do homem e da mulher renascem.

Nós chegamos para o nascimento de uma nação concebida em liberdade. A concepção da América é verdadeiramente uma concepção cósmica, pois é o lugar onde as almas de um "povo peculiar" (Deuteronômio 14:12) não descansarão até que tenham alcançado a consciência cósmica, que é a essência da Mãe.

A cultura, a história e a religião da América são um fenômeno da Grande Fraternidade Branca. Pois pela mão invisível e pela orientação muito específica dos mestres ascensos, a América - o coração, a mente, a alma de um mundo - nasceu.

A América é o lugar do surgimento do potencial feminino do homem e da mulher. É o lugar da criatividade – aspiração e inspiração engendrando o surgimento da consciência de Deus em todos.

É o lugar onde a liberdade de religião, a liberdade de expressão, a liberdade de imprensa e a liberdade de reunião fornecem os alicerces para a busca individual da consciência cósmica.

(Os outros países das Américas do norte, centro e sul, estão junto com os Estados Unidos fazendo parte deste plano divino de manifestação de um governo divino para a humanidade. Este novo mundo está livre do pesado carma do velho mundo, e por isso, com muito mais oportunidade de desenvolvimento.)

Porque essa consciência só pode ser alcançada através das disciplinas e das iniciações do Cristo e do Buda, porque isso só pode ser alcançado quando a alma é verdadeiramente livre para seguir o curso de seu destino interior, a América foi fundada pelos mestres ascensos como um lugar seguro e protegido - uma terra de abundantes recursos e oportunidades, uma terra onde o fórum das maiores almas das eras produziria um dia a maior ciência e a maior religião de todo o tempo e espaço.

Para que a alma alcance a consciência cósmica, ela deve se tornar a Mãe. Onde há vida, onde há alegria, onde há autodisciplina em criatividade, onde há amor e liberdade, lá existe o raio Mãe ativando a alma para a autoconsciência. Lá existe o raio Mãe dando origem (nascimento) ao Cristo e ao Buda, que é a verdadeira identidade de todo homem, mulher e criança.

A América é uma experiência da Grande Irmandade Branca. Nenhuma previsão psicológica ou astrológica determina seu destino. Não há nada automático sobre o cumprimento de um destino cósmico. A América é simplesmente uma oportunidade, um presente de liberdade, como o dom do livre arbítrio nas mãos e nos corações de um povo peculiar. Se, de fato, deve haver um destino cósmico forjado e conquistado neste continente, será porque essas pessoas tornaram o trabalho das eras, suas próprias.

O trabalho árduo nos trouxe para este momento em nossa história e um trabalho árduo nos levará ao selamento na conclusão da pirâmide de nossa vida. Jesus, nosso Mestre, disse: "O Pai trabalha até agora, e eu trabalho"; e John Kennedy, que manteve a visão de um povo livre para manifestar sua identidade divina em toda a caminhada da vida, disse: "Aqui na terra, o trabalho de Deus deve verdadeiramente ser o nosso".

Os mestres da Grande Fraternidade Branca são pessoas como você e eu que viveram e trabalharam entre nós e que, por congruência com o plano interior da vida (plano divino), se tornaram Um com o Grande Espírito (Deus), a quem os primeiros americanos (índios Norte Americanos) conheciam bem, a quem os israelitas identificaram como o Fogo Sagrado do EU SOU O QUE EU SOU e experimentaram como "uma coluna de fogo à noite e uma coluna de nuvem de dia". (Êxodo 13:21)

Os mestres ascensos são os graduados cum laude (com a maior das honras) de cada cultura e de toda a história e de toda religião. Eles são americanos no sentido cósmico, pois eles consagraram suas consciências a Cristo, a Buda e a Mãe. Eles vivem e se movem entre nós; ainda assim, para conhecê-los, devemos nos tornar como eles.

Esses mestres do passado próximo e distante, são os santos e os sábios cujas vidas foram marcadas pelo sacrifício de si mesmos em nome da humanidade, a humildade diante da Presença interior, a obediência ao código cósmico e a um amor surpreendente por toda a vida.

Eles inspiraram todos os aspectos da realização em nossa cultura, nas artes e nas ciências, em nosso governo e em nossa economia, na educação e no espírito indomável de liberdade que, ainda tem a coragem de sonhar o sonho do amor, da verdade e da liberdade para toda a humanidade.

Os mestres ascensos são os patrocinadores de uma nova raça (a Raça I Am - Eu Sou), uma nova onda de vida e uma nova era de autodescoberta e autotransformação, que só pode nascer nos corações daqueles que ainda acreditam no milagre da vida revelando a vida.

Os americanos são pessoas únicas que têm a coragem de seguir o caminho do aperfeiçoamento do ser, enquanto ainda olham suas imperfeições diretamente com equilíbrio e maturidade.

Essa capacidade de sustentar a visão no meio da batalha da vida é o dom da oportunidade e da liberdade que a América dá ao mundo e ao cosmos.

Se a América pode provar a lei que é o fundamento de sua vida, isso significará que todas as nações e todos os mundos e todos os sistemas de mundos podem fazer o mesmo. Assim, pelo esforço individual, homens e nações esculpem um destino cósmico.

Elizabeth Clare Prophet
Mensageira da Grande Fraternidade Branca 

 


Liberdade no Coração, na Mente, na Alma - parte 3

Os céus revelam a glória de Deus, o firmamento proclama a obra de suas mãos. Um dia discursa sobre isso a outro dia, e uma noite compartilha conhecimento com outra noite. Não há termos, não há palavras, nenhuma voz que deles se ouça; entretanto, sua linguagem é transmitida por toda a Terra, e sua mensagem, até aos confins do mundo. Nos céus, Ele armou uma tenda para o sol. (Salmos 19: 1-4)

A Grande Fraternidade Branca lhes saúda, e lhes damos as boas-vindas para Shasta 1975. Nós Agradecemos por terem vindo nesta hora do Espírito Santo para se juntar a nós em mantras de liberdade - liberdade no coração, na mente e na alma.

Nós nos reunimos na Palavra. Nós nos reunimos no poder, na sabedoria e no amor do Logos. Nossos corações estão cheios de alegria na unicidade das nossas chamas. Ao comungarmos na unidade desta chama, vamos entoar juntos a Palavra Sagrada que veio desde o início e que cumpre até o fim, a Palavra que celebra Consciência, Ser, Totalidade.

Vamos entoar o sagrado AUM. 
- Audiência canta "AUM" três vezes.

Ó Deus eterno dentro do coração de toda a vida, ó fogo vivo respirando consciência de tudo o que somos, de tudo o que és, nós saudamos a vida! Nós saudamos a totalidade! E nos reunimos na tua chama, em teu nome, para ser a tua chama.

Faça-nos um, mesmo quando já somos um. Então deixe nossa unidade fluir como as águas cristalinas da vida e as águas da Palavra viva. Deixe a nossa unidade ser a alegria dos átomos de Deus que se unem ao destino imortal.

Nossa oração é alegria. Nossa oração é comunhão. Nossa oração é amor, ó Deus!

Nós Somos Um

A alegria no coração da chama da unidade também pode ser entoada por um mantra que amamos entoar, a simples declaração da lei do ser, "Nós somos um". Ao compartilhar a unicidade da chama, percebemos que toda a separação, tudo o que nos manteve aparte, torna-se em nada, quando comungamos com a chama viva, na presença da natureza, na presença da Grande Fraternidade Branca.

A palavra sagrada AUM libera a frequência da Palavra, a mesma Palavra que surgiu como a origem da criação. Os antigos conheciam o poder da Palavra. Civilizações se elevaram e caíram pelo poder da Palavra falada. Os mantras do Oriente, entoações sagradas, foram utilizadas por centenas de milhares de anos por sacerdotes e sacerdotisas na Lemúria. E tudo o que surge (neste mundo) vem do AUM sagrado.

Nós seguimos o raio do sol de volta ao núcleo ardente. Nós seguimos a luz dentro do coração de volta ao sol da Presença. Quando afirmamos a palavra AUM, afirmamos o verdadeiro ser. Afirmar esse ser é tornar-se nesse ser. Declarar esse ser é saber quem EU SOU. O AUM sagrado que entoamos é o som indestrutível. É a imensidão. Do AUM vem a nossa unidade.

Que possamos todos nos unir no poder da Palavra falada para dar a afirmação de que "Nós Somos Um", como se estivéssemos rastreando um raio de sol de volta ao sol do AUM. Vamos simplesmente dizer juntos: "Nós Somos Um".

- Audiência repete "Nós Somos Um" oito vezes.

Podemos dar esse canto como uma canção de afirmação da unicidade.

- Audiência canta: " Nós Somos Um! Nós Somos Um! Nós Somos Um! dez vezes e canta "AUM" três vezes.

O AUM

AUM - O som da Palavra - a Palavra do som. É uma palavra sânscrita. Isso significa “Eu me curvo, Eu concordo, Eu aceito.” AUM! Eu aceito o meu destino imortal. Eu aceito a minha razão de ser. Eu aceito a minha responsabilidade de ser. AUM! Eu aceito os componentes da minha realidade. Eu aceito a chama como Deus dentro de mim.

AUM é o mais abstrato e ainda, o mais concreto símbolo da divindade. É um instrumento de auto realização. É seu para manter. É liberado de seu coração pelo sopro de Deus. Nenhum instrumento mecânico, nenhuma máquina, nem o poder da civilização, podem se igualar o AUM. Somente você pode entoar o AUM, porque você é Deus em manifestação. Fora desta única sílaba eterna, tudo o que existe, surge. Tudo o que surgir, retorna ao AUM.

A AUM é soletrado A-U-M, e cada uma das letras representa um componente da nossa divindade. E cada letra deve ser entoada separadamente.

- A Mensageira entoa o "AUM".

Quando combinamos a trindade, simplesmente entoamos o AUM. O passado, o presente e o futuro formam a Trindade. Nós somos tudo o que somos como passado, como presente, como realização futura do AUM.

No Oriente, os hindus se referem à Trindade como Brahma, Vishnu e Shiva; E no Ocidente-Pai, Filho e Espírito Santo. O conceito é o mesmo.

O “A” vem de Alfa como o iniciador, o criador, a origem das espirais da consciência, a origem do ser. É o impulso do poder.

O “M” é o Om de Ômega, a conclusão, o integrador e o desintegrador da forma e do sem forma.

As polaridades positivas e negativas do ser são faladas. Do “A” ao “Om”, toda a vastidão da criação está contida.

E o “U”, no centro, é você, o Eu Real, o Ungido, o Cristo, o Buda da luz, você na manifestação universal, em particular manifestação, a Trindade.

Este é o poder da preservação, da concentração, da coesão como identidade. Da origem do Pai ao destino final na Mãe, somos abraçados como a identidade do seu amor (amor do Pai e da Mãe divinos). Vamos entoar o AUM mais uma vez.

- Audiência entoa o "AUM" mais três vezes.

Ao longo desta conferência, usaremos o AUM em vários pontos para elevar todas as energias ao centro da consciência de Deus. O AUM é usado para entrar no núcleo ardente do ser. O núcleo ardente que é simbolizado no T'ai chi, pelo símbolo S (no centro do circulo) dos lados branco e do azul, esse núcleo ardente branco está em seu coração como Deus Pai-Mãe.

A cada vez que entoamos o AUM, estamos enviando energia de volta da periferia da criação para o centro. Estamos enviando sinais a Deus de que estamos chegando em casa. E nosso lar é o AUM.

Este caminho de se mover em direção ao centro do cosmos é um caminho que toda a criação está tomando enquanto nos deslocamos ciclicamente de volta à origem, de volta para a fonte. Toda a vida, todo o cosmos, estrelas e galáxias estão se deslocando para o centro, para o sopro do núcleo do Fogo Branco. Por milhares de anos, o caminho de volta ao centro foi delineado por professores do Extremo Oriente.

Os sistemas complexos e simples foram estabelecidos e seguidos, ensinados pelos professores aos seus discípulos. Este foi o caminho do Oriente.

No Ocidente, somos ensinados a sair do centro e, assim, o Ocidente recebe uma religião e um ensinamento segundo o qual o núcleo ardente do ser pode explodir e ser liberado para realizar o ciclo da inspiração e da espiração.

EU SOU O QUE EU SOU

A milhares de anos atrás, o início desta ação da lei no Oriente foi dado a Moisés, e ainda mantemos esse fogo e esse legado como quando Moisés viu o fogo do núcleo de seu próprio ser objetivado na sarça que era uma chama que não se consumia. (Êxodo 3:2)

E a voz vinda do meio da sarça declarou autoconsciência, sendo que procedeu a partir do núcleo ardente e declarou nossa identidade Divina: “EU SOU QUEM EU SOU”. No Egito, “NUK PA NUK.”

“E Moisés disse a Deus, Eis que, quando eu chegar aos filhos de Israel, e lhes disser: - O Deus de vossos pais me enviou; E eles dir-me-ão: qual é o nome dele? O que devo dizer-lhes? E disse Deus a Moisés: - “EU SOU O QUE EU SOU”; e Ele disse: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vocês". (Êxodo 3:13,14)

Então eu digo a vocês neste dia: o "EU SOU me enviou a vocês". E vocês também podem me dizer: o "EU SOU me enviou a você". A glória, alegria de ser um enviado do Senhor, enviado desde o núcleo ardente, enviado do ninho da criação, enviado para ser o (representante do) EU SOU O QUE EU SOU!

Que possamos repetir as palavras juntos, como um mantra que o Senhor Deus deu a Moisés. Este é um mantra dos filhos de Israel: "EU SOU me enviou a vocês".

- A audiência repete: o “EU SOU me enviou a vocês” 3 vezes.

Quando falamos nossos mantras diretamente do coração e, sentimos o fluxo da intensidade do fogo do coração e, comungamos uns com os outros em resposta ao amor (serviço ao próximo), sentimos o aumento e a turbulência da chama, que é a nossa luz em comum, nossa única luz.

Os mestres ascensos da Grande Fraternidade Branca ensinam seus chelas a entrar no núcleo ardente, mergulharem na fonte da luz com o Sagrado AUM, para permanecerem lá assim como Jesus fez quando se retirou das multidões e foi a um lugar separado. E eles ensinam-nos a vir adiante (servir a ida) em nome de Deus, por esse nome “EU SOU O QUE EU SOU.”

Portanto, o ciclo do AUM e do EU SOU O QUE EU SOU, que cantamos, nos dá a corrente alternada de ir ao Pai, saindo com a Mãe. Assim, a lei que está escrita nas partes internas do homem, é o nome de Deus escrito no coração. (Jeremias 31:33)

Em fogo vivo, A-U-M está escrito em seu coração. Está escrito em sânscrito; está escrito em inglês; está escrito nas línguas dos anjos. É um núcleo de luz que fala em todos os idiomas.

Pois a Palavra prossegue e "os céus declaram a glória de Deus; e o firmamento mostra o Seu trabalho. Dia a dia pronuncia Sua fala, e noite após noite revela o conhecimento. Não há fala nem linguagem, onde a Sua voz não seja ouvida. "Esta é a voz daquele no coração interior que fala no deserto da consciência humana: Preparai o caminho do Senhor, sigam seus caminhos". (Mateus 3:3)

Para Fora do Ser (Deus) Nós Saímos - Para o Ser Nós Retornamos.

Nós nos reunimos nesta comunhão de luz para preparar o caminho, preparar os canais do ser, preparar os chakras, preparar os vasos da consciência, preparar os veículos dos nossos quatro corpos inferiores, para o fluxo do AUM e o fluxo do EU SOU O QUE EU SOU.

(Consciência não é só da alma, precisamos também trabalhar, elevar, as consciências do corpo físico, do corpo emocional, do corpo mental e do corpo espiritual.)

E tudo mais procede desse núcleo ardente. E tudo o que falamos e tudo o que dizemos e todos os nossos mantras e todos os ditados e palestras - tudo vem do AUM e do EU SOU O QUE EU SOU. Para fora do Ser nós saímos; para o Ser nós retornamos.

Pensemos em nós mesmos naquele país estéril onde Moisés estava. Em nome do EU SOU O QUE EU SOU, voltemos para trás no akasha, nos registros do tempo e do espaço escritos sobre os éteres; e vamos para aquele ponto no tempo e no espaço onde Moisés esteve.

Vamos ouvir com os nossos ouvidos o som eterno do Criador (afirmando): EU SOU O QUE EU SOU. Que cada um comungue dentro do coração, na câmara do coração, para ouvir a voz de Deus falando.

- A Audiência faz silêncio.

E agora respondamos ao Senhor da criação, a lei da criação dentro de nossos corações: EU SOU O QUE EU SOU.

- A audiência entoa "EU SOU O QUE EU SOU" seis vezes.

Este fiat do ser é o nome de Deus. E, mais do que um nome, ele contém a energia da criação. O primeiro “EU SOU” significa a letra “A” no “AUM”. É Deus como Alpha declarando, “EU SOU”.

“O QUE” representa o “U”, a transição, a passagem de energia para Ômega, no segundo “EU SOU” - a trindade então, novamente expressa.

É Deus no alto declarando: “EU SOU O QUE EU SOU”. EU SOU essa manifestação abaixo da qual eu declaro ser EU SOU.

É Deus acima como uma chama afirmando que Deus é a chama dentro de nossos corações (abaixo).

Quando dizemos: "EU SOU O QUE EU SOU", não estamos dizendo: "EU SOU O QUE EU SOU". Deus dentro de nós está dizendo: "EU SOU O QUE EU SOU". Pois quem, senão Deus dentro de nós, tem a autoridade para declarar ser Consciência e autoconsciência?

A argila pode falar? O navio pode se mover sem a chama? Pode a forma externa ser qualquer coisa que não seja sujeita à chama interna? Vamos deixar Deus falar através de nós, "EU SOU O QUE EU SOU".

- A audiência entoa "EU SOU O QUE EU SOU" três vezes.

(AUM é a silaba sagrada; De Alfa para Omega; a união de duas letras, A de Alfa e O de Ômega, significando: 
A = ALFA - PAI - BRAHMA - EU SOU O QUE EU SOU (+)
U = ALFA/ OMEGA - FILHO - VISHNU - EU SUPERIOR (+ e -) 
M = OMEGA - MÃE/ SHAKTI - ESPÍRITO SANTO / SHIVA - A CASA DO ESPÍRITO SANTO (- e +) )

(Este é o som da criação do universo, com este som podemos purificar as nossas energias. Pronuncia-se AAAAAAAUUUUUMMMMMMMMM ou OOOOMMMMMMMM.
Para algumas culturas, a pronuncia de AUM deve ser sempre OM, mas o significado é o mesmo. Quando dizemos AUM, estamos dizendo, "do espírito para a matéria". Quando dizemos OM, estamos invocando a manifestação. O fim. A materialização. A Silaba Sagrada utilizada para a manifestação das energias divinas em mantras sagrados.)

Eu e Meu Pai Somos Um – Eu e Minha Mãe Somos Um

O Deus Pai-Mãe é o centro de toda a vida: é esse fator positivo-negativo, é esse campo de energia, é esse núcleo de consciência que chamamos de Deus.

Deus é energia. Deus é o Alfa-Para-Ômega (AUM), o átomo da individualidade. Deus é o núcleo ardente do átomo, a semente, a ideia do homem, dos planetas, das estrelas e dos sóis.

O Deus Pai-Mãe é o núcleo dos sistemas de energia. Você é um sistema de energia. Eu sou um sistema de energia. Nascemos para conquistar essa energia (tomar comando / controle sobre ela). Onde quer que Deus esteja, a vida brota da perfeita união do Espírito (Alfa, Pai) com a Matéria (Ômega, Mãe).

Declarando a unidade quando dizemos: "Nós somos um", nós estamos dizendo que nós somos um com o Pai, um com a Mãe, um com o princípio feminino-masculino da vida, que é o centro total e a circunferência do ser.

Vocês não se alegrariam comigo para cantar agora o mantra "Eu e meu Pai somos um, eu e minha Mãe somos um"?

Existe o movimento da consciência dentro do núcleo ardente, dentro da polaridade masculina, dentro da polaridade feminina.

Vocês descobrirão enquanto cantam (este mantra) que neste momento coalesce em torno de vocês a esfera branca, a esfera da qual vocês nasceram, na qual vocês retornarão. É o campo de força da Grande Fraternidade Branca.

Ao cantar o mantra e dar-lhe a entonação da Palavra, todas as energias do seu ser realinham-se na polaridade positivo-negativa e você se descobre como um eletrodo, um magneto para todas as energias do ser, energias que se desviaram do alinhamento com a polaridade que é Deus.

Quando alcançamos essa polaridade perfeita, nos tornamos mestres da vida. Este é o objetivo do caminho que está definido perante nós.

- A audiência canta: "Eu e meu Pai somos um, eu e minha Mãe somos um!" Dez vezes.

O Núcleo da Consciência

Nós viemos (encarnamos) para estabelecer e restabelecer a verdadeira natureza do ser. Nós descobrimos que estamos dentro como o núcleo ardente que definimos como o AUM e o EU SOU O QUE EU SOU.

No entanto, quem pode definir - o que significa circunscrever - a consciência, que é Deus? Nós abordamos a Palavra Sagrada que Deus deu de si mesmo, pela qual, ao traçar a entonação do som e os alegres raios dentro de nossos corações, podemos encontrar o núcleo da consciência.

Quando tocamos o nome de Deus, tocamos a chama. Quando tocamos a chama, tocamos o fohat, energia (cósmica / elétrons), a luz que sairá em resposta à palavra falada (a luz que obedece ao comando da Palavra, que é Deus em ação).

Eu gostaria de cantar com vocês um fiat de liberdade, a música número 208, em seu livro de músicas - “Light, set me free!” (Luz, Liberte-me!)

Quando dizemos: "Luz, Liberte-me!" Estamos falando desse núcleo ardente que é o AUM, que é o EU SOU O QUE EU SOU, essa é a polaridade masculino-feminina do ser, o Deus Pai-Mãe.

E nós estamos dando um fiat: 
Luz, Liberte-me! Luz, Liberte-me! Luz, Liberte-me!

Agora, Luz, comande, comande, comande que meu seja livre! Luz, exija que eu seja livre! Luz, expande dentro do meu ser!

Porque Eu Sou essa luz, EU declaro que EU SOU essa luz! Eu declaro que EU SOU um ser de fogo violeta!

O fogo violeta procede do núcleo de fogo branco. É a chama da liberdade que vamos confiscar e utilizar neste momento. E finalmente cantamos: "EU SOU a pureza que Deus deseja!"

No AUM, no EU SOU O QUE EU SOU é Deus como ser (individualizado), como vida desejando ser mais ser (individualizado), mais vida, mais consciência. À medida que fluímos com isso, ao impormos nossos fiats de criação sobre ele, esse fogo se expande de dentro para fora.

Há uma certa expansão que ocorre na meditação; mas o suporte do “crescendo” (aumento progressivo da intensidade dos sons) e a ancoragem da luz na Matéria, em moléculas, em substância, em terra, no planeta Terra, devem surgir através do poder da Palavra Falada.

É por isso que o homem, o cocriador com Deus, tem o poder de pronunciar o discurso (comunicar-se), assim como o Senhor Deus pronuncia o discurso. Este é o presente sagrado que nos permite fazer a centelha da nossa divindade agir nesse plano.

(A Palavra atua sobre os quatro planos da matéria: espiritual, mental, emocional e físico.)

Pela Palavra falada obedecemos ao decreto do Senhor "Tome domínio sobre a terra! Tome domínio sobre a terra! "Vamos assumir o domínio com este mantra de liberdade, "Luz, me liberte!"

- A audiência canta a canção três vezes:

Luz, Liberte-me!

Luz, liberte-me! 
Luz, liberte-me!
Luz, liberte-me!

Luz, comande!, Luz, comande,
Luz, comande, comande, comande!
Luz exige, Luz exige, Luz exige, exige, exige! 
Luz expande, Luz expande, Luz expande, expande, expande!
Luz EU SOU, Luz EU SOU, Luz EU SOU, EU SOU, EU SOU!

EU SOU um Ser de Fogo Violeta
EU SOU a Pureza que Deus Deseja.

Por favor levantem-se. Coloquem sua atenção sobre o seu coração e deixem o fogo da criação sair de seu coração para o coração de Deus.

- O público entoa "AUM" três vezes e "EU SOU O QUE EU SOU" três vezes.

Grata Eu Sou e bom dia a todos.

Elizabeth Clare Prophet

 


Seja a Montanha! - Parte 4

Existem habitantes dentro da montanha Shasta? Há retiros lá? Existem caminhos dentro da terra que ligam todos os retiros da Grande Fraternidade Branca? Para todas essas questões, devo dar um retumbante Sim!

Sim, Shasta está repleta de almas de luz. Sim, Shasta é o ponto focal dos antigos lemurianos e sacerdotes e sacerdotisas do Fogo Sagrado. Sim, eu digo.

Confirme isso por sua própria sintonização. Confirme por sua comunhão. Vá para dentro da montanha e, como diz Hércules, "seja a montanha! ... Que todos corram, então, para encontrar a montanha!" Esta é a palavra de Hércules, um Elohim de Deus.

Hércules é a autoconsciência de Deus como Poder, como a Vontade da Chama. Os Elohim são os Senhores da Criação que formaram os planetas e os corpos estrelados em resposta ao decreto do Senhor.

Hércules, o Elohim do Primeiro Raio, declara: "Que todos corram, então, para encontrarem-se com a montanha!" Isto significa, deixem que suas energias corram para o coração da montanha. Sintam o fluir para o centro! Sintam suas energias misturarem-se com o coração de um planeta e um povo que tem mantido a chama (acesa) por nós, por milhares de anos, aguardando o despertar (da humanidade).

Ele diz: Corram, então, para encontrar a montanha, a base circular subindo ao centro como o único pico - antigo vulcão, Shasta - brilhando na luz da manhã! Então, deixem que a montanha que vocês escalam agora, seja a montanha que sobe desde a sua própria consciência ... uma montanha não de karma, mas de luz, de momentum Divino que vocês constroem ciclo a ciclo, elevando as energias do ser e, sabendo que, "Eu SOU a Sagrada montanha de Deus ... EU SOU a mágica montanha do ser."

(Isso acontece quando vivemos intensamente nossa espiritualidade, conversando com Deus e com os mestres, 24 horas por dia. Orando sem cessar. Entregando todas as dúvidas e problemas para Eles. Comunhão absoluta com o divino! Vamos subir a montanha desta consciência.)

O que isso nos ajuda a vir à montanha que outro criou? Devemos criar nossa própria montanha, nossa própria montanha de luz que começa no núcleo ardente do AUM no coração do EU SOU O QUE EU SOU. Devemos ser construtores de montanhas.

Sacerdotes e sacerdotisas de Mu levantaram Shasta como uma homenagem à chama da Mãe Divina, mesmo quando nos sentamos em meditação no raio Mãe. E quando os yogis do Oriente se sentam para levantar a Deusa Kundalini, então, ao levantar o fogo, eles levantam a montanha da luz do fogo branco. Vamos elevar nossa montanha. Vamos ser a montanha sagrada de Deus. Vamos ser essa montanha sagrada.

Então, Hércules diz: agora seja essa montanha! Seja Shasta! Sinta as pulsações de uma montanha construída sobre a conquista de sacerdotes e sacerdotisas da antiga Mu que criou essa montanha como uma homenagem à chama da Mãe.

(O continente da Lemúria, chamado de Mu, era um vasto continente localizado no oceano pacifico, que se estendia por cerca de 6 mil quilômetros do norte do Havaí ao sul, onde estão localizadas as Ilhas de Páscoa e Fiji, e foi constituído por três áreas de terra que se estendiam por mais de 8 mil quilômetros, de leste a oeste. O continente de Mu foi destruído a aproximadamente doze mil anos atrás, por terremotos e vulcões, e pelo colapso das câmaras de gás que sustentavam o continente, que submergiu ao fundo do oceano, deixando como recordação o pico de suas mais altas montanhas, as ilhas do Havaí, Fiji e Páscoa.)

Vamos agora meditar em ser a montanha. Coloque sua atenção sobre o seu coração; Entre no seu coração enquanto meditamos juntos:

Flua, Ó fogo de nossos corações! Ó meu coração, flua para a montanha sagrada do amor! Flua, ó fogo sagrado! Gabriel Arcanjo, deixe fluir o fogo da pureza! Nós elevamos dentro do ser e da consciência um tributo ao Criador de toda a vida, ao Deus Pai-Mãe, ao coração da montanha Shasta e da Irmandade desta montanha.

Flua, ó fogo do meu coração! Flua para Shasta! Flua, ó minha alma! Flua para a água cristalina da vida! Atravesse o rio do meu coração para a fonte de Shasta!

Ó luz do EU SOU O QUE EU SOU, venha em resposta ao fogo dos nossos corações e retorne agora, esse fluxo de nossos corações multiplicado pelo fiat da Palavra, EU SOU O QUE EU SOU!

Nós nos disponibilizamos como receptores da montanha e do Fogo Sagrado da montanha. Nós nos disponibilizamos como refletores da montanha e do fogo da Mãe dentro da montanha.

Nós saudamos a Irmandade. Nós saudamos o Espírito eterno da vida. EU SOU O QUE SOU!

Elizabeth Clare Prophet


A LIBERDADE É UMA CHAMA - parte 5

A alquimia da liberdade que começa dentro da alma do homem e da mulher é uma chama que queima - uma chama que não será extinta.

Inaugurando uma era de Aquário da Liberdade está Saint Germain, mestre da chama da liberdade. Ele é a figura-chave da história do planeta e na fundação da América como uma nação, onde toda a humanidade tem a oportunidade de ser livre. A liberdade não é apenas uma chama, mas é uma identidade - uma consciência.

Nós vamos explorar os fogos da liberdade como consciência divina na individualidade. Nós vamos falar sobre o que realmente significa ser livre e como buscar (tirar) a liberdade do karma, das rodadas de reencarnação, das limitações do tempo e do espaço. Nós discutiremos as ilusões e as confusões causadas por uma falsa liberdade oferecida pelos caídos como liberdade política, social, econômica e religiosa.

O que é Liberdade Espiritual?

Nós viemos para celebrar a liberdade espiritual. O que é liberdade espiritual? Para defini-la, nós precisamos saber o que é liberdade em si. Então, nós saberemos o que é liberdade espiritual, o que é liberdade material, o que é a liberdade da alma e o que é a liberdade de Deus.

O que significa ser livre? Esta é uma pergunta totalmente mal compreendida por alguns e incompreendida por outros. São muito raras as pessoas sobre o planeta Terra que chegaram a definir a liberdade, a reverenciá-la aqui nesta Terra e celebrar essa chama.

Nós nos unimos aqui para um propósito cósmico, e, não só definir a liberdade, não só para comungar com a liberdade, mas de tornarmo-nos nessa chama da liberdade. A cada dia dos quatro (dias de conferencia em Shasta 1975) dedicaremos a chama da liberdade para irromper em um outro nível de consciência, em um dos quatro corpos inferiores de um planeta e de um povo. Chegaremos então ao significado de liberdade como uma chama ao nível etéreo (no quarto dia).

A liberdade começa dentro da alma do homem e da mulher. E o que é a alma? A alma é o potencial vivo de Deus que clamou (pediu) e, portanto, foi concedida pela Vida (Deus) a oportunidade de sair, sair do núcleo ardente (do Eu Sou o Que Eu Sou), e manifestar uma identidade e uma individualidade (consciência individual). E, portanto, a alma foi enviada para os planos da Mater (matéria) com o dom do livre arbítrio. É aí que começa a Chama da Liberdade. Ela não poderia existir exceto como presente do Criador para a criação.

O dom do livre arbítrio não é compreendido; pois a humanidade têm várias razões para determinar que seu destino é preordenado, seja pelas estrelas, ou por uma doutrina, ou um dogma, ou por seu karma ou por seu dharma. Eles não reconhecem que os campos de energia são o instrumento do Eu Real.

Se esses campos de energia são formados por nossas estrelas, ou por nosso karma, ou por nosso passado, ou o que quer que seja, o fator-chave no livre arbítrio é que a alma é ordenada a tomar as rédeas da energia, do controle da energia, para determinar o destino desse campo de energia.

As Responsabilidades do Livre Arbítrio

Você é um campo de energia. Sua alma recebeu a autoridade para "tomar domínio sobre a Terra" . - A "Terra" significa a densificação, a materialização das energias de Deus. Essa é nossa tarefa. Nós buscamos a liberdade espiritual como forma de buscar nas nossas origens, os porquês e os razões da descida da alma (para a matéria).

Aceitar a premissa do livre-arbítrio significa aceitar as responsabilidades do livre arbítrio. Para aceitar as responsabilidades do livre arbítrio, devemos poder analisar a causa e o efeito. Quais são as causas que (no passado, nós) permitimos pelo livre arbítrio sair deste campo de energia (nossa aura), que é a nossa identidade? E quando contemplamos a marcha do tempo, o movimento das espirais do espaço, quais são os efeitos dessas causas que nós colocamos em movimento?

Você já analisou alguma manifestação devastadora em sua vida, em sua casa, entre seus amigos, e percebeu que, pela Palavra falada, você criou estragos, você talvez criou tristeza, talvez o desmoronamento da identidade de outro ou a intimidação de uma (outra) alma?

Você percebeu naquele momento que você era um criador, que liberou uma causa, uma espiral de energia que resultou em um efeito? Você soube, então, que você tinha livre arbítrio. Você também compreendeu que Deus fez você um cocriador com Ele e que nesse momento você exercitou a faculdade de criar, e esse foi o resultado. Você também reparou como você trouxe alegria e esperança, sorrisos e felicidades para as pessoas ao liberar uma causa que resultou em um efeito benéfico? Este é o livre arbítrio. Isso é responsabilidade.

Agora, enquanto nós contemplamos o nosso poder na chama da liberdade e, na própria liberdade, chegamos a compreender essa imensa responsabilidade e perguntamos: Se Eu Sou uma chama e o nome dessa chama é Liberdade e eu tenho vontade livre e posso cocriar com Deus, quais são as consequências de longo alcance, da minha criação, da minha liberdade? Minhas energias atingem as estrelas? Elas alcançaram o Sol Central? Elas estão confinadas a esta sala? Ou elas se mantém no campo de força da minha consciência?

Qual é o campo de força da minha consciência? Qual é a extensão do ser, a circunferência da individualidade? Aqueles que se rebelam contra a lei da vida e do ser não admitem facilmente as consequências de longo alcance do livre arbítrio, do uso da chama da liberdade.

Immanuel Kant, o filósofo do século XVIII, deu o imperativo categórico: "Aja como se suas ações fossem tomadas e imitadas pelo mundo inteiro". Determine suas ações perguntando-se: "Eu gostaria que toda a humanidade fizesse o que eu sou fazendo?"

Ele tinha muito bom motivo para dizer assim; pois é uma lei da vida que tudo o que fazemos ressoa como o som da Palavra, como o som do AUM, sobre a vida. Tudo o que fazemos tem impacto sobre cada alma viva.

Nós entramos na responsabilidade da chama da liberdade e ouvimos a voz de Deus. A única verdadeira liberdade que o homem pode ter, e saber, e ser, é a liberdade que Deus ordenou.

Essa liberdade só pode ser conhecida quando o homem emprega com maestria o dom da vontade livre para direcionar as energias de sua vida no cumprimento de seu plano divino. Pois somente quando o homem pode controlar sua vida, pode ele controlar seu destino e, seu destino é a sua verdadeira e única liberdade. Quando buscamos a liberdade espiritual, nós buscamos nosso direito de cumprir nosso destino cósmico, nosso destino manifestado.

A Escolha É Ser

Nós temos a liberdade de escolher ser ou não ser – de ser a alma modelando o plano divino interior ou, de ser a alma não modelando o plano divino interior. É uma escolha. É uma escolha de ser – de ser/estar alinhado com o modelo do plano divino interior de nosso próprio Eu Real, para entrar em conformidade com a lei desse SER REAL, ou de ser/permanecer fora da realidade.

No cerne do ser, você sabe que você é real. Você sabe que você tem uma conexão com uma fonte superior além, uma fonte que antes do sopro da vida foi infundida no próprio vaso de argila (o corpo físico), uma fonte que continuará além da colocação de lado desse vaso de argila (além da morte física).

"Antes que Abraão fosse, EU SOU!" - Esse é o fiat do Eu Real (o Santo Cristo Pessoal) dentro de você, o Ungido. Esse Ungido é uma parte permanente da vida, da realidade; mas a alma ainda não é. A alma ainda não se tornou permanente, porque a alma elegeu sair desse núcleo ardente (a Chama Trina) para descobrir um destino, ter livre arbítrio, ser livre por um tempo, no tempo e no espaço.

Portanto, nos reunimos como almas vivas, como potenciais da mente de Deus, desejando unirmo-nos com o Eu Real, desejando descobrir esse Eu Real. Pois nossas almas já determinaram que não queremos permanecer na escuridão externa, no campo de efeito. Queremos ir para a Causa.

Elizabeth Clare Prophet


LIBERDADE ESPIRITUAL - parte 6

Limpando os Canais do Ser

Esta conferência é dedicada para a limpeza dos canais em seu ser, para que você possa caminhar pela estrada do cosmos de volta à Fonte, que é o Fogo Sagrado da vida dentro de você.

Nós vamos perseguir com grande paixão essa liberdade de sermos nosso Eu Real, uma paixão ainda não conhecida no planeta; pois nós acrescentaremos a paixão e o fervor de nossos corações de serem livres, a todos os outros que caminharam para o núcleo ardente do Ser.

E pelo momentum de toda essa manifestação de almas que já ascenderam, conhecidas como “Todo o Espírito da Grande Fraternidade Branca”, nós reforçaremos a nossa liberdade, o nosso direito de sermos livres aqui abaixo.

Quando nós contatarmos essa chama, quando limparmos a estrada de nosso Deus para que a alma se eleve àquele fogo central, àquele fogo da liberdade no altar do ser, então toda a vida, a natureza, os governos das nações, toda a humanidade precisará entrar em conformidade com essa chama.

Então, saberemos como resolver os problemas de guerra e paz, da economia, do governo, de todos os cruzamentos e de toda a discórdia e dissonância que encontramos nos quatro corpos inferiores de um planeta e de um povo, assim como nós nos reunimos para o aniversário da Declaração de Independência. Assim como nos reunimos para esse aniversário, nos reunimos para declarar a independência da alma, do direito da alma de ser livre na chama.

E quando ratificarmos e colocarmos nosso nome nessa declaração e nos juntarmos no núcleo de fogo branco do ser, nos encontraremos como uma mandala - um mandala de Cristãos da chama central e dos doze indicando os treze discípulos.

E uma e outra vez, enquanto esta mandala espirala através desta comunhão, estabelecemos o alicerce, fixando o chamado magneto, o Magneto do Grande Sol Central. O Magneto do Grande Sol Central é o ímã do fogo do seu coração. É um ímã que é mantido como um diamante na consciência de Deus, que atrai a humanidade de cada caminho da vida, para alguma nova esperança de liberdade, alguma nova centelha, alguma nova realização.

Então, todo homem, mulher e criança no planeta, conhecerá um novo ar e um novo sopro de liberdade, porque marcamos o destino de nossas almas. O que consagrarmos aqui, o que dedicarmos aqui, será de fato, para a construção da nova ordem das eras.

Elizabeth Clare Prophet


A Grande Fraternidade Branca – Ensinamentos sobre Liberdade Espiritual na Conferência da The Summit Lighthouse de Julho de 1975 – na cidade de Shasta, aos pés da Montanha Shasta. 
- Tradução e comentários entre parênteses, de Paulo R Simões

Estamos traduzindo estes ditados semanalmente - continua...


Voltar