O SIGNIFICADO E A IMPORTÂNCIA DAS CORES

A Luz é uma grande chave, amados; e homens e mulheres devem entender que as cores vistosas do mundo com suas densidades profundamente tingidas só remexem as paixões e destroem a esperança.

Enquanto os tons pastéis reativam a comunhão com as esferas mais altas. Pela escolha e uso das cores corretas, os homens podem encontrar na expansão sem limites dos tons do arco-íris da luz, uma renovação de sua consciência e a purificação que deve ocorrer diariamente, para progredirem ao longo do caminho do crescimento.

O vermelho, o preto, o marrom, o cinza, o verde-oliva e o verde-amarelado (Chartreuse). Estas cores e suas correspondentes metálicas, prata e cobre, vibram ao nível das criações do astral e das qualificações discordantes tais como: raiva, temor, dúvida, ressentimento, orgulho, rebelião, avareza, morte, paixão incontrolada, etc (energias emocionais, astrais).

Elas podem ser vistas nas auras de pessoas espiritualmente pouco desenvolvidas. O uso destas cores deve ser evitado na vestimenta e também na decoração do lar por um discípulo da Fraternidade, que através da proximidade e do fluxo de sua atenção, torna-se a vítima de forças (astrais) maliciosas que só podem conseguir entrada em seu mundo através da penetração da desarmonia e/ou das cores acima citadas que focalizam a discórdia e a desordem da mais degradante espécie.

Assim como os Mestres criam e mantêm focos de luz onde quer que indivíduos expressem harmonia e aumenta-os com as cores adequadas e música suave, matrizes espirituais e consagração individual, assim fazem também os que vivem nas sombra e sustentam seus esquemas nefastos através dos focos discordantes amplificados por cores caóticas, formas-pensamentos e música discordante.

Num ditado recente, um dos grandes mestres recomendou que os estudantes examinem os objetos de arte em seus lares, assim como as cores com que eles se cercam, retirando tudo o que não contribui para a espiritualidade do lar, de seus membros e de si mesmo.
----------------

Amada Vesta – Pérola de Sabedoria Vol. 12 nr. 1.
No caso de itens caros ou itens necessários, um plano a longo prazo é sugerido para a substituição gradual de itens inadequados.

O equilíbrio é o caminho em todas estas transições do material para o espiritual; perfeição é a meta num mundo imperfeito.

Vesta
---------------

Amado Paulo Veneziano – Pérola de Sabedoria Vol. 11 N. 03.

Não temam, então, procurar entender o etéreo, e desenvolver um senso das cores pastéis, das cores suaves, de radiação giratória da fulgurante vestimenta de luz.

Saibam, entretanto, que esta luz que é a Luz de Deus que nunca falha, contêm dentro de sua natureza uma clareza cristalina e uma pureza espiritual que é sem mistura.

A ferramenta que deprime, sufoca, suprime, ou que leva o homem para baixo em conflito, pode bem ser o domínio psíquico de outros. Nesta conexão deve ser entendido que a arte usada erroneamente pode tornar-se uma chave para o reino de Pandora.

A abertura dessa caixa - esse retângulo (neste caso "ângulo quebrado") da consciência deturpada - nunca pode estar atuando em direção ao bem. O novo sentido de alegria cósmica, como o radiação do sol sobre as águas cintilantes, fala da natureza da fluidez em movimento, do fluxo, da regeneração, dos borbulhos de intensidade brilhando sobre um momento esplêndido com todas as cores do arco-íris.

Os mestres ascensos ensinam o uso de cores pastéis como o azul, amarelo, rosa, branco, verde, violeta, púrpura e ouro - as cores dos sete raios, não só nos trabalhos de arte mas também nas roupas, na mobília, e na decoração de interiores como um meio mais eficiente para trazer a radiação espiritual e as bênçãos das legiões angélicas para manifestar como um foco real dos reinos mais altos nos ambientes pessoais de cada um.

Paulo Veneziano
--------------

As cores dos sete chakras como estão mostradas nesta gravura, indicam quais chakras são os centros emissores e receptores para cada um dos sete raios do arco-íris de Deus.

Várias escolas de pensamento da Nova Era, assim como no século passado, têm prescrevido suas cores para os chakras. As pessoas me perguntam porque as nossas cores diferem de algumas destas escolas.

Minha resposta é que essas cores que nós mostramos são as cores divulgadas pelos Mestres Ascensos a seus Mensageiros como elas devem aparecer no corpo etéreo purificado, a vibração mais alta dos quatro corpos inferiores e o invólucro natural da alma (os chakras de uma pessoa altamente evoluída).

Eu acredito que alguns clarividentes que divulgaram suas versões das cores, leram a condição dos chakras no astral, sem serem transmutadas, isto é, sem serem purificadas, no estado da consciência humana, daí a discrepância.

Esta imagem com os chakras mostra a cor (frequência) da luz que cada um dos chakras deveria estar emitindo quando é purificado e equilibrado no fator +/ menos, o yan e yin do T'ai Chi girando.

As cores correlacionam aos sete raios do Corpo Causal, que você vê ilustrado como sete faixas de cor, esferas dentro de esferas cercando a Presença EU SOU na figura superior na Gravura do seu Eu Divino.

As cores dos chakras revelam qual dos raios do corpo causal deve ser liberado através de cada chakra; idealmente o chakra deve vibrar no mesmo comprimento de onda que a esfera correspondente do corpo causal, "como é Acima, também é embaixo.".

Aula da mensageira Elizabeth Clare Prophet – disponibilizada na Pérola de Sabedoria Vol. 32 – nr. 28 da The Summit Lighthouse

A imagem mostra os chakras puros, sem poluição humana, com as seguintes cores:
Chakra da base: branco
Chakra da alma: violeta
Chakra do plexo solar: púrpura e dourado
Chakra cardíaco: rosa
Chakra da garganta: azul
Chakra do terceiro olho: verde esmeralda
Chakra coronário: amarelo-ouro.


Paulo R. Simões
Ao utilizar nossos textos, indique sempre o web site - www.eusouluz.com.br