O QUE OS MESTRES ASCENSOS DIZEM SOBRE...

OS FALSOS ENSINAMENTOS DESMASCARADOS
– Um Exposé de Falsos Ensinamentos –


Pérola de Sabedoria Vol.19 No. 10 - Kuthumi e os Irmãos do Manto Dourado - 1976

Aos filhos do Sol que estão aprendendo o domínio das Hierarquias do Sol sobre a Falsa Hierarquia da Lua:
A falsa hierarquia tem usado os ciclos e as sementes da lua e a criação lunar para subverter e seduzir a mulher. Eles a transformaram numa imitadora e portadora dos humores e das energias temperamentais da lua. 

Foi através da luz astral da lua que Satanás, agindo através da Serpente 1, seduziu a Eva, o arquétipo da mulher lemuriana. Através da Luz da lua cheia, o óvulo cósmico que a mulher carrega em seu ventre foi violado pela víbora.

As mulheres de hoje em dia, ofendidas pela crescente ameaça dos estupradores, estão se organizando para se protegerem desta ameaça contra a sua liberdade. 

Rogamos a Deus que a sua causa seja a defesa de sua virgindade. Mas as Evas que permitiram que a Serpente entrasse no Templo sagrado da pureza e unidade onde o óvulo brilhante, branco-azulado transparente, encontra-se entronizado no altar, perderam para Satanás o sentido da santidade da vida.

O templo da vida da Mãe de tudo o que vive é o ventre da criação, e toda mulher em encarnação na Matéria é um santuário desse templo e dessa chama 2. 

À mulher foi dada a autoridade da Mater e da Mater-realização. E a Mãe do Mundo é chamada de a "Mãe dos Quadrantes". 

Quando os Senhores da Criação criaram a mulher, deram-lhe a coroa da vida e colocaram a lua, o corpo de desejos do homem, sob seus pés, simbolizando seu direito de governar as águas do mar da consciência, do mar da mente, do mar dos desejos, das emoções do pensamento e do sentimento. E ao arquétipo da mulher criada por Deus foi feita esta promessa:

"A ti, Ó Mãe de tudo o que vive na Mater, deve ser dado, no ritual sagrado das Quatro Forças Cósmicas, em cada um dos doze meses dos ciclos do ano, o óvulo que contém o arquétipo do Cristo, o Filho-Varão, como um modelo de cada uma das doze hierarquias solares. Guarde a chama que é o modelo do Filho-Varão, no centro do óvulo. 

Mantém o teu ventre como sendo o templo do Deus vivente em pureza, em unidade, no silêncio e na reverência da tua meditação na sacralidade da vida; Eu enviarei o Espírito do Meu Ser em manifestação divina, no Filho que Eu designarei como portador da semente de Alfa para fertilizar o óvulo cósmico com o fluxo da minha consciência cósmica”.

“Guarda a porta do templo virginal e guarda as doze partes do ano. Conserva a santidade da vida - o óvulo de Ômega, a semente de Alfa, a fusão de línguas de fogo partidas no altar do templo - para a manifestação do Filho-Varão no interior do ventre da Mater. Mantém a chama da vida e do Sol por detrás do sol, e os filhos do sol passarão pelo portal da tua pureza”.

"Ó mulher, o tentador virá com provas e mais provas, através da simpatia e da auto piedade, procurando conforto para a sua semente no templo da virgem. Ó mulher, sê a virgem vestal que vela o fogo sagrado no altar do ser, mantendo a chama do óvulo inviolada, pelo poder da coroa da Mãe, o halo dourado, o “anel impenetrável, a memória da tua imaculada concepção manifestada na membrana da tua virgindade”.

Mas a Serpente foi persistente na penetração dos templos da Virgem em Mu, a Terra-Mãe. Os altares sagrados dos seus templos foram profanados e as virgens vestais foram sacrificadas para a luxúria dos sacerdotes negros. Eles procuraram procriar a progênie do Mentiroso e da sua semente. Eles procuraram impregnar mulheres santas com a semente da sua criação robótica, a falsificação da matriz da semente de Alfa.

Pelo seu consentimento, a mulher permitiu que a serpente desse completa vazão à luxúria do ego, ao orgulho, à ambição, à luxuria de criar a falsa criação. E as mulheres que acreditaram na mentira de que elas estavam sendo chamadas por super-deuses e super-homens para gerarem uma super-raça, descobriram que seus templos corpóreos haviam se tornado abrigos para Satanás, para rituais satânicos. 

Elas não mais deram à luz homens-Deuses - a manifestação divina de Alfa e Ômega - e sim pariram, amaldiçoadas pelo culto a Satanás e pela cultura da semente da falsa criação, o homem-diabo, chamado de demônio. E assim começaram os infortúnios da mulher.

E o Senhor Deus pronunciou Seu julgamento sobre Satanás, dizendo: “Então o Senhor Deus disse à serpente: Porquanto fizeste isto, maldita serás mais que toda a fera, e mais que todos os animais do campo; sobre o teu ventre andarás, e pó comerás todos os dias da tua vida. Porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.3" 

E à mulher que Ele tinha feito, disse: “Multiplicarei grandemente a tua dor, e a tua concepção: com dor terás filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará 4".

A semente da serpente é a semente ou a matriz da progênie dos luciféricos; e a semente da mulher, o núcleo do seu óvulo cósmico, é o Cristo, o Filho-Varão. Para todo o sempre, disse o Senhor Deus, haverá inimizade entre o óvulo da Virgem Cósmica e a semente do Caído. 

O Cristo debelará a mente carnal da serpente (esmagará a sua cabeça); mas a serpente, por causa da sedução auto induzida da mulher, comprometerá a mestria divina dos filhos e filhas de Deus através da propagação do culto ao sexo e do culto à morte.

Pela água da lua que mistifica os misteriosos poderes da hierarquia de Peixes, o Anticristo, trabalhando através das legiões da falsa hierarquia da lua, roubou dos filhos e filhas de Deus a sua Mestria Divina sobre a morte e o inferno. 
Esta mestria é devolvida a cada filho e filha de Deus que a reivindique através da vida e exemplo gloriosos de Jesus Cristo, o vitorioso.

Através da blasfêmia da sua traição, a mulher perdeu o seu domínio sobre a lua e o corpo dos desejos da Mater. Agora ela se submete aos desejos do seu esposo, cujos desejos ela despertara. Agora a mulher, através do seu ciclo menstrual, está sujeita aos humores da lua. Seu desafio nesta era é conquistar em si mesma e no seu homem os altos e baixos da maré dos corpos emocionais da humanidade.

O ciclo de vinte e oito dias da lua está refletido no ciclo de vinte e oito dias do corpo da mulher. Ainda que eles não coincidam no calendário, aquilo que ocorre nos corpos emocional e físico da mulher é uma experiência microcósmica daquilo que ocorre no Macrocosmo da Terra, o ciclo lunar da lua terrestre refletido nos corpos emocional e físico da Terra.

O décimo-quinto dia do mês lunar é para muitos a celebração da lua cheia. Para as pessoas do campo, a lua cheia era o sinal da fertilidade. Pela mágica do crescer e do minguar da lua, eles plantavam suas safras, e na lua cheia eles celebravam a colheita. E os rituais da lua que dominavam a vida do homem e da mulher primitivos dominaram a religião do homem caído e da mulher caída, e a superstição da sua feitiçaria pela manipulação do intelecto e dos desejos substituiu a arte e a ciência dos adeptos da Grande Fraternidade Branca.

No ponto médio do seu ciclo, a mulher consagra o óvulo cósmico como um foco da pura Luz do Sol por detrás do sol, como o magneto dentro do seu ventre para o fluir dos fogos da criação do Espírito para a Matéria. Ela é a Noiva que se adorna com o véu da consciência virginal para receber o representante do Espírito Santo, o portador da Luz de Alfa.

Esta comunhão da mulher com o seu Deus é a meditação da religiosa, da celibatária, da virgem, bem como da esposa e mãe.

Cada uma delas à sua maneira, na quietude do templo, prepara-se para o Noivo, o Cordeiro de Deus. E no seu papel de hoje em dia, quer como uma virgem vestal ou uma mãe da raça de seres crísticos, livres em Deus, que está destinada a aparecer sobre a Terra, a mulher deve curvar-se diante do altar da pureza para consagrar o óvulo cósmico e toda a vida que flutua no oceano da Mater, esperando para nascer, para nascer para a vida através da cristalização da Consciência Crística no ventre do tempo e do espaço.

Agora eu desafio a mulher a que desafie os agressores arrogantes que, na sua animosidade (ira) e luxuriante agitação desejam rebaixar até as profundezas astrais a sua pureza, a sua posição elevada, através da argumentação e da acusação de Satanás, que deseja, na apatia do ateísmo, depreciar a sua pureza. 


Na luz virginal, Eu Sou Kuthumi

----------------

Ditado originalmente em inglês, dado a mensageira Elizabeth Clare Prophet 
Tradução e comentários entre (parênteses) de - Paulo R. Simões


Voltar