DICIONÁRIO ESOTÉRICO


 
PALAVRAS :

SIGNIFICADO :

   
Babaji

 

MAHAVATAR BABAJI

Mahavatar Babaji foi revelado ao mundo pela primeira vez em 1946, na Autobiografia de um Iogue, por Paramahansa Yogananda. Segundo relatado nesse livro e em obras de outros autores que estiveram com Babaji entre 1861 e 1935, ele é um mestre espiritual e um avatar. Sua idade e o local de nascimento são desconhecidos.

Mahavatar Babaji transcendeu os limites temporais do corpo há séculos (talvez milênios), mantém-se no anonimato, acessível apenas a um seleto grupo de discípulos, e vive nas recônditas montanhas dos Himalaias, entre o Nepal e a Índia.

A sua missão tem sido a de dar assistência aos profetas na execução de tarefas específicas. Ele afirmou na presença de vários discípulos, ter dado a iniciação yogue a Shânkara, reorganizador da Ordem dos Swâmís, e a Kabir, famoso mestre medieval.

Seu principal discípulo no século XIX foi Lahiri Mahasaya, (1828-1895), a quem Babaji legou a responsabilidade de ressuscitar uma antiga e perdida técnica de elevação espiritual, a Kriya Yoga.

Um avatar não está sujeito à economia universal; seu corpo puro, visível como imagem de luz, acha-se livre de qualquer dívida com a natureza. O olhar casual talvez não veja nada de extraordinário na forma de um avatar, mas este não projeta sombra nem deixa qualquer pegada no chão.

Estas são provas externas, simbólicas, de se haver liberado interiormente da escravidão à matéria. O estado espiritual de Babaji está além da compreensão humana.

A raquítica visão do homem não pode penetrar através de sua estrela transcendental. Procura-se em vão imaginar o alcance de um avatar. É inconcebível. Babaji vive sempre em comunhão com Cristo; juntos enviam vibrações redentoras à humanidade, inspirando as nações a renunciarem às guerras, aos ódios de raça, ao sectarismo religioso e ao materialismo, cujos males atuam como bumerangues.

A falta de referências históricas a Bábají não nos deve surpreender. O grande guru jamais apareceu ostensivamente em qualquer século; o equívoco brilho da publicidade não tem lugar em seus planos milenares.

Semelhante ao Criador, único mas silencioso Poder, Babají opera em humilde anonimato. Grandes profetas como Cristo e Krishna vêm ao mundo com um objetivo específico e espetacular; e partem, assim que o realizam.

Outros avatares, como Babaji, incumbem-se de obras relacionadas com o lento progresso evolutivo do homem através dos séculos, em vez de se ligarem a algum fato histórico excepcional. Tais mestres sempre se ocultam ao olhar grosseiro do público e têm o poder de se tornar invisíveis à vontade.

Por estas razões, e porque geralmente instruem seus discípulos para que mantenham silêncio a respeito de si, algumas figuras espirituais do mais alto porte permanecem desconhecidas para o mundo. Jamais se descobriram quaisquer dados delimitadores da família e do lugar de nascimento de Babaji - tão caros ao coração do cronista histórico.

Nestas páginas sobre Babaji, faço simplesmente uma alusão à sua vida - só refiro alguns fatos que ele considera convenientes e úteis à divulgação pública.

O imperecível guru não mostra sinais de idade em seu corpo; parece um jovem de vinte e cinco anos, não mais. De epiderme clara, constituição e estatura medianas, o belo e vigoroso corpo de Babaji irradia um brilho perceptível. Seus olhos são pretos, serenos e ternos; seu longo e lustroso cabelo é cor de cobre.

Às vezes, a face de Babaji se parece muito à de Lahiri Mahásaya. Tão notável era a semelhança que Lahiri Mahásaya, em sua velhice, poderia ocasionalmente ter passado por pai de Babaji, cuja aparência é sempre a da juventude.

Quem quer que alcance a consciência e a experiência de filho de Deus, como Babaji, pode atingir qualquer objetivo com os infinitos poderes ocultos dentro de si. Uma pedra contém secretas e estupendas energias atômicas; assim também o mais ínfimo dos mortais é uma central elétrica de divindade.

Num diálogo entre Lahiri Mahasaya e seu discípulo Ram Gopal, "Babaji foi escolhido por Deus para permanecer em seu corpo, enquanto durar este ciclo do mundo. As eras hão de vir e de findar. O mestre imortal, porém, contemplando o drama dos séculos, sempre estará presente no palco terrestre."

Paramahansa Yogananda

Quando entramos em um dos templos da Self Realization, encontramos sua fotografia no altar, juntamente com as de Lahiri Mahasaya, Paramahansa Yogananda, Jesus, Krishna e Sri Yukteswar.

BABAJI - por RAJINDRA - Devota de BABAJI

No norte da Índia, região do Kurmanchal Himalaya, próximo ao vilarejo de Hairakhan, numa caverna aos pés do monte Kailash, apareceu em 1970 Shree 1008 Haidakhand Bhole Baba, mahavatar do Senhor Samb Sada Shiva.

Para benefício da humanidade permaneceu em corpo físico por mais de 5.700 dias, ensinando  pelo  exemplo, como transpor a escuridão desta Kali Yuga. Quando perguntavam quem era ele, respondia  que  era Bhole Baba (simplesmentepai), Que ele não era nada, nem ninguém.

Que aquele corpo não significava nada. Era apenas um espelho no qual a pessoa se refletia.

Afirmava que ele era como o fogo, a  pessoa não deveria ficar muito longe, se não, não sentiria seu calor,mas também não deveria se aproximar demais pois poderiase queimar. Que cada qual aprendesse a distância certa!

Na prática ninguém conhecia seu nome, nem sua origem. Algumas vezes se referiu a si como o próprio Senhor Shiva, ou como Sada Shiva, ou Samb Sada Shiva.

Diversas pessoas realizadas da Índia, Tibet, Nepal e do ocidente, reconheceram-nocomo Shree Mahamunindra,  Shree Shivamahavatar, Shree Sada Shiva,  Shree Samb Sada Shiva, Shree Lama Baba, Shree Trayambak Baba, Lama Baba.

Na região de Hairakhan ele é mais conhecido como Shree Hairakhanwale Baba. No mundo ocidental ele se tornou mais conhecido a partir da metade do século dezenove através do livro Autobiografia de um Yogue, de Paramahansa Yogananda.

Neste seu último aparecimento Babaji falou muito pouco, não escreveu livros, nem fez discursos e conferências. Não ensinou uma nova religião, nem uma nova yoga.

Ele restabeleceu os princípios da Sanatan Dharma, a religião eterna, o princípio cósmico da vida, manancial absoluto do qual fluem todas as religiões. 

Ensinou pelo exemplo, o que devemos fazer para nos tornarmos realmente humanos e resgatar nossa unidade com Deus.

Shree Bhole Baba orientou continua e incansavelmente para que as pessoas, independentemente de suas crenças e religiões, trilhassem um caminho de VERDADE, AMOR, SIMPLICIDADE, apoiadas pela KARMA YOGA (serviço desinteressado, a yoga mais adequada para os tempos atuais) e pelo JAPA MALA (a repetição constante do nome de Deus).

Rajindra

 

Batismo

Do grego "baptizo", o  batismo pertencia a primitiva teurgia caldeia. Também religiosamente praticado nas cerimônias noturnas nas pirâmides, onde vemos até hoje as pias batismais em forma de sarcófago. Na Índia é celebrado nas cerimônias de iniciação nos locais sagrados, ritual idêntico ao estabelecido posteriormente por João Batista. Este é um ritual sagrado utilizado por varias religiões e seitas, onde se purifica o individuo para iniciá-lo.

 

Benção

Graça divina; Ação de benzer ou de abençoar com favores divinos. A benção é divina, a benção pode ser adquirida através de invocações de soluções divinas para si ou para outrem. Podemos exercitar a presença de Deus em nós, pedindo a benção divina sobre tudo o que tocamos ou vemos, dizendo simplesmente, "Deus, abençoe isto, aquilo ou fulano."

 

Bestas do Apocalipse

As “Quatro Bestas do Apocalipse”, apocalipse 4, são os quatro corpos inferiores do individuo: O corpo da memória, o corpo mental, o corpo emocional ou dos desejos, e o corpo físico.

Estes quatro corpos devem ser dominados pela alma do individuo caso contrário as entidades, desencarnados e demônios os dominarão, fazendo com que lembre do que não quer, pense no que não quer, deseje o que não quer e faça o que não quer. São as entidades e demônios montadas nos cavalos que deveriam ser dominados pela alma do individuo.

 

Bhagavad-gita

Livro sagrado do Hinduísmo.

Bíblia

Do grego “os livros”; nome dado aos livros sagrados das religiões; o livro da verdade. O conjunto dos livros sagrados do Antigo e do Novo Testamento; escritura; sagrada Escritura.

 

Bodhisattva

Palavra em sânscrito que significa literalmente - Aquele cuja essência (sattva), tornou-se um ser de bodhi, tornou-se em inteligência viva, aquele destinado à iluminação.

Um Bodhisatva é aquele que está destinado a ser um buda e ter direito ao nirvana, mas que renunciou ao êxtase do nirvana para salvar todos os filhos de Deus sobre a terra. Na escola Mahayana de Budismo, tornar-se um bodhisattva é a meta da senda.

 

Brahma

Brahma é para os hindus o mesmo que o Pai da Trindade Cristã. Deus Pai; Quando queremos criar algo invocamos a energia criadora de Brahma. O som que invoca o Poder de Brahma é "A" de Alfa. Somado ao "OM" de Omega, a energia que se acumula quando invocamos o AAAAAA, é baixada na matéria, OMMMMMM causando a purificação e a expansão do Chakra da cabeça ou coroa. AAAAAAUUUMMMMMM.

A visualização é a Luz pura de Deus e branco-amarelada do Chakra da cabeça, brilhando a uma intensidade muito forte.

 

Brahman

O Criador; Principio do Universo de cuja essência tudo emana e para onde tudo volta. É incorpóreo, imaterial, inato, eterno, sem principio e sem fim; é Onipresente, Onipenetrante e anima desde o mais poderoso Deus até ao menor átomo mineral. Ele se manifesta através de Brahma, Vishnu, Shiva e Shakti  correspondentes ao Pai, Filho, Espírito Santo e Mãe Divina.

 

Bruxa (o)

Aquela que faz feitiços e magia negra; Feiticeira experiente; São especialistas em filtros de amor e outras magias e feitiços. 

São usualmente contratadas para fazer trabalhos de magia contra terceiros, estas pessoas desconhecem a lei de causa e efeito ou lei do carma; as bruxas não respeitam o livre arbítrio das pessoas. Quando querem alguma coisa, invocam as profundezas do mal e seus seres malignos para consegui-las. 

Na Idade Média, muitas pessoas foram queimados vivas por serem considerados bruxas e feiticeiras, eram em alguns casos cientistas, curandeiros, ou simplesmente discordavam da igreja... Isto com certeza matou muitos inocentes. 
Bruxas hierarquicamente são superiores às feiticeiras em conhecimento maligno. 

A enciclopédia Barsa, confirma os ensinamentos dos Mestres Ascensos:

Bruxa - Designação popular da figura feminina que participa de rituais de bruxaria, com poderes inspirados por um suposto pacto com o demônio. 
Bruxaria -
  Exercício de supostos poderes sobrenaturais por meio de rituais mágicos destinados a beneficiar seus praticantes e causar malefícios a terceiros

As bruxas não são necessariamente velhas, horrendas, com chapéu de cone amassado, vassoura velha, caldeirão de poções mágicas com um  sapo, um gato e um pássaro pretos de estimação, na realidade, elas podem ser belas e formosas, jovens e modernas.

Não existem bruxas do bem, se for do bem não é bruxa e sim "Fada, Maga ou qualquer outra coisa, menos bruxa", - bruxa é sempre uma aliada do mal,
da magia negra, da ilusão e dos demônios. 


(confira as palavras Fada Madrinha e Mago)

 

Buda

”O Iluminado”;  O mais alto grau de conhecimento; para tornar-se um  “Buda”, deve-se destruir inteiramente a escravidão dos sentidos e da personalidade, adquirir a completa percepção do verdadeiro Eu e aprender a não separar este dos demais Eus.

Chegar a um absoluto desprendimento de todo o efêmero infinito, e viver ainda estando na terra, só no imortal e eterno, em um supremo estado de santidade.

Buda é um cargo na hierarquia espiritual dos mundos, que é alcançado quando o individuo se submete a determinadas iniciações do fogo sagrado, incluindo as dos sete raios do Espírito Santo e dos 5 raios secretos, a elevação do raio feminino, (o fogo sagrado do Kundalini) e a mestria dos sete nos sete multiplicados pelo poder dos 10.


VOLTAR